Sem categoria

Crítica | Coringa

 

O filme de origem de um dos vilões mais aclamados do mundo, revela a faceta dramática por trás das histórias de ação.

img_0102

Tudo começa na cidade de Gotham, onde um homem chamado Arthur Fleck (Joaquim Phoenix), que trabalha como palhaço enquanto planeja sua carreira no Stand Up, tem seus planos destruídos por um incidente com uma arma no trabalho.

A partir deste acontecimento, Arthur é demitido e se encontra com dificuldades de encontrar um novo emprego, já que é sempre feito de piada por ter uma doença neurológica que o faz rir em momentos de pânico, ansiedade e medo.

Com as frustrações que o cercam, o homem se vê como uma grande figura revolucionária ao reagir a um cenário de agressão, começando protestos em toda a cidade contra Thomas Wayne (Brett Cullen).

Bruce Wayne em sua primeira interação com Arthur Fleck, antes mesmo destes se tornarem Batman e Coringa.

O mundo começa a ser familiarizado com o público no momento em que é compreendido o porquê de Arthur ser obcecado pela família Wayne. Este chega a conhecer Bruce e perseguir Thomas, protegidos pelo famoso Alfred, que virá a ser braço direito de Bruce quando este crescer.

O roteiro denota bem a degradação da saúde mental da personagem, mostrando que seu passado agressivo influencia na mente perturbada de Fleck. No primeiro ato, o espectador é levado a se apegar ao Coringa, apenas para que esta ligação seja absurdamente quebrada ao final.

A conotação social que o roteiro carrega, apesar de esclarecer a todo tempo que o Coringa não é um personagem político, é de que este move as pessoas a mostrarem sua voz, trazendo a máscara de palhaço como um símbolo social semelhante à V de Vingança.

A fotografia captura bem as feições incomparáveis de Joaquim Phoenix e, junto ao trabalho excelente da arte, mostra a total queda de Arthur. A interpretação de Phoenix é o fecho perfeito para o cadeado; como Coringa será relembrado como um dos mais memoráveis intérpretes de todos os tempos.

Além disso, a direção trabalha com focos centrais e com a utilização de espelhos para demonstrar a imagem distorcida de seu protagonista.

joker-joaquin-phoenix-encontra-s

Dessa forma, ao juntar todos os elemntos, possuímos um tesouro entregue pela Warner ao universo da DC. Os fãs de heróis, psicologia e cinema se unem em uma única obra para a apreciação da narrativa majestosamente construída com todos os elementos utilizados na cinematografia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s